Enciclopédia

Aqui você tira suas dúvidas na nossa enciclopédia e fica sabendo um pouco mais sobre o tratamento da sua piscina !

 

ACIDULANTE – produto ácido, destinado a neutralizar produtos básicos (alcalinos), ou seja, a baixar o pH de uma solução. Exemplos de produtos ácidos: vinagre, limão, abacaxi, ácido muriático etc.

 

ÁGUA DURA – contém excesso de sais de cálcio e magnésio (acima de 400 ppm) dissolvidos.

 

ALCALINIZANTE – produto básico, destinado a neutralizar produtos ácidos, ou seja, elevar o pH de uma solução.

 

ALGAS – formas microscópicas de vegetais sem raízes, que utilizam a luz do sol e micronutrientes da água para se desenvolver e procriar (fotossíntese). Algumas variedades flutuam livremente na água, outras prendem-se às superfícies. Geralmente apresentam coloração verde, verde azulada, amarela ou marrom. Chegam às piscinas trazidas pelos ventos, chuvas e poeiras.

 

ALGÍCIDA – função do Aqualux destinado a eliminar o desenvolvimento de algas.

 

ANEL O’RING – anel de borracha destinado a promover a vedação entre os eletrodos e o porta eletrodos.

 

ANEL DE VEDAÇÃO – anel de borracha que faz a vedação entre o porta eletrodo e o corpo da cuba.

 

ASPIRAÇÃO – processo de remoção de sujeira sobre as superfícies da piscina por meio do sistema de sucção pela motobomba e aparelhagem adequada, através do qual a sujeira é aspirada junto com a água, podendo esta ser filtrada e reaproveitada ou descartada junto com a sujeira (drenagem).

 

CLARIFICAÇÃO – processo de remoção de turbidez da água.

 

CLARIFICANTE – produto utilizado para clarificar a água.

 

CLORAÇÃO DE MANUTENÇÃO – tratamento de cloração para manter residual de cloro constante na água a fim de prevenir acúmulo de poluentes. Recomenda-se residual constante de 0,5 ppm de cloro livre. (PARA PISCINAS PUBLICAS)

 

CLORAMINA – composto formado pela reação do cloro livre da água com o nitrogênio amoniacal proveniente de suor, urina, óleos etc. É o verdadeiro responsável pelo “cheiro característico” de cloro da água, quando na verdade ele só se forma em águas com pouco cloro. Tem poder desinfetante reduzido.

 

CLORO COMBINADO – veja cloramina.

 

CLORO LIVRE – nome dado ao ácido hipocloroso – HOCl – o verdadeiro desinfetante presente na água clorada.

 

CUBA – camera onde ocorre o processo de ionização.

 

CORPO DE CUBA – recipiente onde é realizado a passagem da água para que ocorra a ionização.

 

DESINFECÇÃO – processo que consiste em matar 99,99% dos microorganismos vivos presentes num meio.

 

ELO DE LIGAÇÃO – elo que liga um eletrodo ao outro para condução de corrente elétrica.

 

EQUILÍBRIO FÍSICO-QUÍMICO – interação dos parâmetros físico-químicos (pH, alcalinidade total, dureza cálcica, sólidos dissolvidos e temperatura) de uma água.

 

DECOMPOSIÇÃO – ato ou efeito de decompor(-se). apodrecimento, putrescência, putrefação.

 

ALCALINIDADE TOTAL – Alcalinidade total é a soma das concentrações dos diversos sais dissolvidos na água que reagem com ácidos, neutralizando-os, e com isso impedem o abaixamento repentino do pH. Águas com baixa alcalinidade tem seu pH alterado bruscamente mesmo com a adição de pequena dosagem de algum produto químico (ácido) ou até pela água de chuvas (geralmente ácidas); a falta de alcalinidade faz com que a água se torne agressiva e provoque corrosão de elementos minerais, como cimento, juntas de azulejo, metais, etc.. Águas com alcalinidade alta tem grande resistência ao abaixamento do pH. A faixa de alcalinidade ideal para águas de piscinas varia de 80 a 120 ppm conforme o produto desinfetante utilizado e os tipos de materiais em contato com a água.

 

CLORO COMBINADO – O residual de cloro livre, quando em quantidade insuficiente para oxidar por completo certos contaminantes como suor, urina, bronzeadores, entre outros, combina-se apenas parcialmente com os mesmos, gerando o cloro combinado, que tem cheiro forte e irritante de cloro e é detectado na análise como residual de cloro, mas tem baixíssima eficiência desinfetante e oxidante. Ele é facilmente reconhecido pelo cheiro característico de cloro acima da superfície da água, geralmente muito irritante para os olhos dos banhistas. Normalmente os usuários atribuem isso ao “excesso de cloro”, alguns a “alergia ao cloro”, quando na verdade se trata da presença de cloro combinado, isto é, cloro insuficiente para enfrentar as contaminações. O residual de cloro combinado ideal em piscinas é zero, porém pode ser tolerado até o máximo de 0,2 ppm.

 

DUREZA CÁLCICA – Dureza cálcica da água é a medida de seu conteúdo de minerais dissolvidos, especialmente dos sais de cálcio e magnésio (dureza total). Nas águas de piscinas a preocupação maior é a dureza cálcica, isto é, seu teor de sais de cálcio porque são eles que se combinam com a alcalinidade em pH alto, tornando-se insolúveis e, quando presentes em grande quantidade, provocam turbidez da água e incrustações calcáreas especialmente nos aquecedores. Alta dureza também diminui a eficiência desinfetante. Águas com dureza excessivamente baixa podem causar problemas como corrosão de argamassa ( e outros materiais que contém cálcio como cimento, cal, gesso, etc.) e de metais. A faixa de dureza cálcica ideal para o equilíbrio físico-químico da água situa-se entre 200 e 400 ppm.

 

EQUILÍBRIO FÍSICO-QUÍMICO – interação dos parâmetros físico-químicos (pH, alcalinidade total, dureza cálcica, sólidos dissolvidos e temperatura) de uma água.

 

ESTABILIZAÇÃO – Processo que impede ou retarda a decomposição rápida do cloro livre da água pelos raios ultravioletas do sol.

 

ESTABILIZANTE – Produto destinado a estabilizar o residual de cloro da água da piscina.